A dieta imaginária

Li a matéria e achei interessante. O estudo está sendo feito por pesquisadores da Universidade Carnegie-Mellon, no estado americano da Pensilvânia, foi publicado na Revista Science. Eles descobriram que se você apenas imaginar que está mordendo, mastigando e engolindo um alimento, poderá sentir-se tão satisfeito que desistirá de comê-lo de fato. Um amigo, que estava ao meu lado riu e disse que já conhecia a técnica e que somente assim teria parado de sonhar com a Gisele Bündchen…

Brincadeiras à parte, apoio e incentivo toda e qualquer pesquisa que possa melhorar a vida e a saúde de todos.

Lembro-me muito bem, ainda no auge de minha obesidade; adquiri o costume de ter sempre à mão um pedacinho de chocolate ao leite.

Não o comia, apenas cheirava. E na maioria das vezes, esquecia a vontade de saboreá-lo de fato. Assim mesmo, apenas esquecia, tomava água, lia alguma coisa, enfim, não foi uma e sim várias vezes, durante muito tempo, que repeti este procedimento com igual resultado.

Nunca experimentei com outros alimentos e também não usei apenas a imaginação, utilizei também o olfato. Cheirava o alimento em minhas mãos e o guardava.

Talvez se tivesse levado a sério esse hábito, teria experimentado outros alimentos… Afinal, tive algum resultado com essa “prática”, mas uma coisa eu sei: Nada substitui a liberdade que tenho hoje, após ter descoberto que era o glúten quem me causava a compulsão alimentar que me mantinha obesa, essa liberdade não trocaria por nada, porque me sinto no direito de saborear o que desejo, na hora que desejo sabendo que não vou ficar desesperada atrás de comida até “explodir”! Pois era exatamente isso que aconteceu durante anos.

Sigo as pesquisas, torço por elas, mas ainda aposto na certeza de que ao descobrirmos a causa da compulsão que nos leva a comer demasiadamente, todos os alimentos se tornam permitidos ( com exceção do doente celíaco, podemos ingerir até mesmo os alimentos contendo glúten, mas sempre observando alguns dias de distância entre uma ingestão e outra e apenas após um bom tempo evitando totalmente esta proteína que está presente no trigo, aveia, cevada e outros grãos).

São muitos os fatores que causam a obesidade e devem ser analisados adequadamente. Estou me referindo apenas ao obeso por compulsão alimentar, porque sei que são milhares de indivíduos e cada vez me convenço mais que a ingestão excessiva de alimentos feitos com trigo contribui significativamente para que isso ocorra.

Obesidade é doença e deve ser acompanhada por médicos, nutricionistas, enfim, todo apoio que se puder ter. Mas para mim, saber que o glúten me causa compulsão é a certeza de que até o fim de minha vida estarei protegida contra o mal que me fez sofrer por mais de quarenta anos de vida. Continuo acompanhando a dieta imaginária, mas não posso deixar de achar triste, ter que olhar um suculento churrasco com fritas e saborear… Vento.

Regina Racco
Clique na imagem e veja o livro

Compre os livros Glúten e Obesidade, a verdade que emagrece e A Deliciosa Cozinha sem Glúten com desconto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s