A Dieta do Palhaço

Voltar para página inicial     


O corpo humano quase sempre é capaz de sobreviver a todos os tipos de desastres – a fome é um deles. Mas qualquer médico dirá que a alimentação fast food é de fato um grande desastre para qualquer organismo e que o consumo excessivo irá levá-lo certamente a doenças graves. O processamento de alimentos retira nutrientes que necessitamos para o bom funcionamento de nosso organismo e nunca é demais lembrar.
– Por exemplo: A maioria dos pães de hambúrguer é branca, e os alimentos nas redes de fast food são altamente processados e contém produtos químicos que preservam, realçam o sabor e a cor e muito mais. Assim, uma dieta que consiste em apenas comida rápida de rua não vai fazer nenhum bem, em absoluto.

Um caso famoso de alguém que tentou (por experiência) viver um tempo apenas se alimentando com produtos de fast foods é o que cito a seguir. Trata-se de Morgan Spurlock, um cineasta independente, autor do filme “Super Size Me”, aqui no Brasil conhecido como “A Dieta do Palhaço” (nome pra lá de apropriado) a experiência que foi transformada no filme citado, foi feita depois que assistindo a um programa na televisão, ele ficou sabendo sobre dois adolescentes americanos que estavam processando o McDonald’s, alegando que o motivo por sua obesidade se devia ao fato de comerem repetidamente na rede McDonalds de alimentos. Assim veio sua inspiração conforme conta em entrevistas.

Morgan procurou alguns médicos que pudesse atestar sua saúde e o acompanhar na experiência que se seguiu e que fez com que passasse a fazer suas refeições apenas na rede McDonald’s.

Estipulou o tempo: 30 dias.

Criou também uma regra: Se o atendente sugerisse um tamanho maior era esse que escolheria em todas às vezes. Assim acabou comendo cerca de duas vezes a ingestão de calorias necessárias nos 30 dias em que se alimentou apenas no McDonalds, chegando a consumir por dia, em média 5.000 calorias (cerca de 7 macs).

Também reduziu o tempo de exercícios, para tornar a experiência ainda mais próxima do “estilo de vida do americano típico”.

Quando começou a dieta, ele foi avaliado com ótima saúde e com um condicionamento físico acima da média. Pesava então, 84,10 kg, era magro para sua altura 1.88cm. Seguiu por um mês o seu plano de alimentação e surpreendentemente, ao término, estava com 11.10 kg a mais!
O que mais impressionou aos médicos que acompanharam a experiência foi o estado em que sua saúde ficou. Extrema variação no humor alternando momentos de irritação com apatia (sugerindo um quadro de depressão), danos ao fígado e disfunção sexual. Para alguns médicos o seu estado se assemelhava ao de alguém que durante anos, tivesse abusado do álcool.

E sua experiência rendeu mais aborrecimentos: Ao término, para se livrar do excesso de peso e restaurar sua saúde abalada nestes 30 dias de farra alimentar, Morgan Spurlock levou 14 longos meses.

Fast Food: Comida pronta.

Claro, que existem outros tipos de fast food que não são hambúrgueres e McDonalds, e nisso reside certa injustiça em expor uma marca. Mas isso não anula o valor do filme, trazendo a tona, verdades que o mundo todo conhece mais que insiste em ignorar. Os enormes malefícios do alto processamento dos alimentos! É possível escolher alimentos de melhor qualidade e que são servidos rapidamente (um dos principais motivos do Fast Food). Saladas, frutas, grelhados, não demoram nada para serem servidos e hoje existem restaurantes no estilo Self Service capazes de agradar a todos os paladares e são tão comuns que estão presentes em grande número em todas as grandes cidades.

Dá para se alimentar na rua mantendo um bom controle de qualidade, depende apenas de vontade.

Algumas sugestões:

Procure fracionar suas refeições, assim não sentirá uma fome horrível, ao fim do dia, por exemplo.

Tente perceber quais alimentos causam em você mais fome do que saciam.

No geral: Pães e massas produzidos com farinhas refinadas, para muitos, o glúten aumenta ainda mais a compulsão alimentar. O excesso de açúcar também aumenta a sensação de fome.

Batatas fritas, pipoca, sorvete, biscoitos… Existem diferenças pessoais, mas no geral, esses alimentos aumentam ainda mais o apetite em lugar de saciar. É interessante observar quais os vilões estão tramando contra você. Descobrindo, basta trocar por outros.

Não é difícil manter a mão um pacote de Frutas oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas, avelãs, entre outras), não esqueça de consumir com moderação, mas elas além dos imensos benefícios à saúde, têm alto poder de saciedade. Sempre colocar em pequenas porções, alguma proteína à sua alimentação. A proteína aumenta a saciedade, como conseqüência: menos fome.

Não esquecer que para quem está correndo ocupado o tempo todo existe dois fatores que não devem ser deixado de lado:

-Deixar para comer depois: Acostume-se a comer mais vezes ao dia, em pequenas porções, como já disse, equilibrando carboidratos, proteínas e gorduras.

- Sede. Essa é muito difícil ser detectada por algumas pessoas, às vezes se confunde a sensação de fome e isso é muito mais comum do que se pensa. Portanto: Uma garrafinha de água pode ser ótima companheira. Como resultado: Intestino regulado, pele maravilhosa, saúde melhorada no geral, carro não anda sem combustível, nós emperramos sem a água.

Enfim, nenhum esforço é penoso quando os resultados são: Emagrecimento saudável, disposição e bem estar!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 84 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: